Um blog para Amigos e para pessoas de quem gosto, com entrada permitida a alguns mentecaptos encadernados...

12
Jun 14

Francisco Barbeiro, professor da primária, o principal  fundador do PS Setúbal e seu primeiro "secretário", eleito em assembleia geral de militantes, no ano de 1974. Honesto, sabedor, bom homem, amante de um bom "bate-papo", muito metódico, muito legalista, quase avesso a iniciativas políticas que agitassem as calmas águas instituídas, grande apoiante de Mário Soares (e quando se afastou do PS, devido à história de terem posto o socialismo na gaveta, tornou-se apoiante do PRD e do general Eanes), foi com ele que me inscrevi no PS, em Lisboa, num dia em que me fui encontrar com Palma Inácio, revolucionário que fundou a LUAR (Liga de União e Acção Revolucionária), que entretanto tinha aderido ao Partido Socialista. O Professor ficou responsável pelo funcionamento da secção mais tarde conhecida por "Secção da Portela" e eu, após uma reunião com os filhos de Mário Soares, João e Isabel Soares e outros camaradas, fiquei incumbido de organizar em Setúbal uma tendência socialista, o Grupo Autónomo do Partido Socialista (GASP), desfeito logo no 1º congresso do PS. Mas enquanto durou, fizemos e entramos em quase todas as acções políticas e reivindicativas que aconteceram na cidade e no concelho, desde a ocupação de casas para pessoas que viviam em bairros de lata, até à organização de comissões de moradores. Tempos de brasa, como costuma dizer Otelo Saraiva de Carvalho. Eramos, no GAPS, que funcionava na cave da secção de militantes, em grande maioria, apoiantes do PREC, processo revolucionário em curso, e chegamos a levar nas orelhas por esse motivo e também pelo facto de não ligarmos muito às tentativas de controle que alguns camaradas  de "olho aberto" tentavam ensaiar, quer ligados ao PS, quer oriundos da Frente Socialista Popular (FSP), a nível nacional liderados por Manuel Serra e a nível local (que funcionava nas instalações da Av. Portela) pelo engenheiro de máquinas, Rocha, que mais tarde lutou pela separação do PS e foi ocupar um edifício no Largo João Vaz, para sede do seu movimento. Mas isto são outras estórias!... 

"Estórias" em relação às quais vou agora aqui levantar a ponta do véu... O engenheiro "Rochinha", andou embarcado com o Manuel Serra e foram fundadores do Sindicato dos maquinistas da marinhas mercante, e quando aconteceu o 25 de abril, foram os primeiros a ocuparem o sindicato. Manuel Serra, um revolucionário metido em mil e uma accões contra o regime fascista, fundou logo a Frente Socialista Popular (após a cisão, Movimento Socialista Popular), que se aliou ao PS. O Rocha, natural de Setúbal, na altura em que Xico Barbeiro "descobriu" o andar da av. Portela "com quintal e tudo e uma saída pelas traseiras, conveniente em caso de merda", andava com o olho em cima do mesmo andar. Por isso se fez uma reunião e estabeleceu-se que o andar fosse dividido pelos dois partidos, já que em Lisboa acontecia o mesmo. E assim foi.
O engenheiro "Rochinha" foi das pessoas com que mais gostei de fazer trabalho político! Era, e é, um homem verdadeiramente revolucionário e de esquerda. Hoje encontra-se a exercer a sua actividade profissional no Brasil, em S. Paulo, e é proprietário de uma firma de instalação de sistemas electrónicos para dirigir e controlar o fluxo de trânsito. Afastado do PS há longos anos, continua a afirmar-se socialista, republicano e democrata!
publicado por Etc e Tal às 10:56
sinto-me:

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

15
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


QUANTOS FREGUESES ESTÃO AQUI online E QUANTOS PASSARAM POR AQUI: Contador de visitas

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO